sexta-feira, 16 de abril de 2010

Acusado de estuprar filhas é violentado


O agricultor Erilson da Silva Santos, 36, preso na segunda-feira por investigadores do setor de menor vítima da Delegacia de Crimes Contra a Mulher sob a acusação de abusar sexualmente de suas filhas menores, teve uma recepção nada agradável no presídio, onde deverá aguardar o pronunciamento da justiça.

Tão logo deu entrada na Unidade de Recuperação Social Dr. Francisco d’Oliveira Conde na manhã de quarta-feira (14), ele foi levado para a cela 26 do Pavilhão “B”, onde acabou espancado e violentado por dois presos, previamente escolhidos pelos demais detentos, que ficaram na platéia.

Manoel Lima de Azevedo, 35, e Antônio Dárzio de Azevedo, 25, seriam, segundo a polícia, os responsáveis pela violência sexual. Autuados na Central de Polícia, os dois foram mandados de volta à unidade prisional onde irão responder a outro processo, cuja pena pode ser maior.

PRISÃO

No mês de fevereiro a esposa de Erilson dos Santos esteve na Delegacia da Mulher e junto à delegada Mhárdia El-Shawa, do Núcleo de Apoio ao Menor Vítima, denunciou o agricultor por ter estuprado duas filhas menores, fato ocorrido na zona rural de Bujari. Como tinha prisão preventiva decretada, o trabalhador foi preso na segunda-feira.

O ESTUPRO

Na manhã de quarta-feira foi levado para o presídio pelo Grupo de Escolta da Polícia Civil. Segundo ele, tão logo entrou na cela 26 do Pavilhão “B” vários detentos estavam reunidos. Foi quando dois deles, Manoel Lima de Azevedo e Antônio Dárzio, se aproximaram e passaram a espancá-lo.

Em seguida foi obrigado a tirar as roupas passando a ser violentado sexualmente pelos dois detentos, um de cada vez. Durante a ação Erilson foi obrigado a comer papel higiênico com sabão para que não gritasse e chamasse a atenção do corpo de guarda.

Agentes penitenciários que estavam de plantão estranharam o barulho feito por outros presos e acabaram descobrindo que Erilson estava sendo abusado sexualmente. Depois de prestar depoimento e ser medicado no pronto socorro, ele foi colocado numa cela em separado.

Jornal a Tribuna

Nenhum comentário: