quinta-feira, 13 de maio de 2010

Associação dos familiares de presidiarios do estado do acre, tem reunião com comissão de direitos humanos da assembleia legislativa do acre.

Ontem a associação de Direitos Humanos dos familiares de presidiários dos estado do acre através de seus representantes, Jocivan Santos, Presidente. e Mara Silva, Primeira Secretaria, se reuniram com a comissão de direitos humanos da assembleia legislativa do estado do acre o assunto era uma pauta de reinvidicações proposta pela associação de famílias. O presidente da associação jocivan santos falou dos problemas que vem sendo enfrentado por todos os familiares que fazem visitas a penal todos os finais de semana, que o pricinpal problema enfrentado pelos familiares e ainda o tratamento dispensado pelos agentes penitenciarios. As pessoas que fazem visitas a penal são mau tratadas com chegamentos palavrões desacatos pra um certo grupo de agentes penitenciarios os familiares também são bandidos, por isso vimos até os senhores pedir providências e uma solução imediata para essa questão, falou jocivan santos. O mesmo falou ainda do tratamento dispensado a pessoas idosas acima de 60 anos a deficientes físicos, gravidas, e crianças, disse também das muitas denuncias de espancamento dentro da penal que tem chegado até a associação. Denuncias essas que o próprio sistema tem sido incapaz de combater e ivestigar. Durante a reunião o presidente da comissão Dep. Valter Prado ficou extramamente sensibilizado com a causa e prometeu providências para reividicações levadas até a comissão, prometendo também chamar os diretores do sistema penitenciario para uma conversa. Direitor do presidio Dr. Francisco de oliveira conde. Presidio António Amaro, e também o diretor presidente do IAPEN/AC.

Reivindicações da Associação de Famílias de Presidiários do Estado do Acre

Um atendimento humano e justo para todos os familiares por parte dos agentes penitenciários nos dias de visita, em momentos específicos como o da revista intima.

Celas mais limpas e com condições de higiene adequada para todos, tanto para presos quanto familiares inclusive crianças nos dias de visita.

Identificação no uniforme de cada agente penitenciário para segurança do próprio sistema penitenciário.

Investigar e coibir de forma exemplar os constantes furtos feitos no guarda volumes a objetos das famílias que visitam a penal.

Médicos para atendimento a presos doentes ou atendimento de urgência na penal.

O fim da superlotação das celas.

Entrada de outros tipos de alimentação.

Um atendimento humano e justo para todos os familiares por parte dos agentes penitenciários nos dias de visita, em momentos específicos como o da revista intima.

O fim da superlotação das celas.

Melhorias nas Revistas – Menos abuso e constrangimento por parte dos agentes tendo mais consideração e respeito aos familiares inclusive crianças e idosos.

Um núcleo para atendimentos de urgência as denuncia na penitenciaria que seja de solução de imediato.

Menos demora na fila para entrada das visitas – sem muito tempo de exposição ao sol por parte dos familiares. Obs: (os familiares que chegam cinco seis horas da manhã estão entrando para visita em até duas horas da tarde).

Melhor atendimento a pessoas com mais de 60 anos sem exposição ao sol como fila exclusiva e atendimento de revista apropriado.

Melhor atendimento as grávidas e mulheres com crianças menores sem exposição ao sol com filas exclusivas e atendimento de revista apropriado.

Menos preconceito por parte dos agentes penitenciários com os familiares de presos os mesmo são destratados pelo agentes penitenciários com palavrões e ameaças.

Disponibilizar a os familiares locais adequados, visando resguardar das visitas intima.

Investigar e coibir qualquer tipo de represaria a presidiários por parte dos agentes penitenciários em razão do movimento da associação de famílias.

Nenhum comentário: