segunda-feira, 12 de julho de 2010

Mais um crime bárbaro movimentou o sistema de segurança no fim de semana

Crime bárbaro deixa toda sociedade Acriana comovida. Bandidos são perseguidos pela policia após assaltarem as armas dos vigilantes de hospital, invadem a casa de Kender Conceição, 32 , mantam com seis tiros o mesmo ao tentar reagir, um outro assaltante tenta fugir pulando o muro invade uma outra casa e assassina barbaramente Ana Eunice Moreira com varias facadas alem de degolar a vitima e faze-la refém.  Uma ocorrência policial que movimentou todo o sistema de segurança do estado, Policia Militar, Policia Civil, COE, SAMU. 
Ai mais uma prova de um Sistema de Segurança e Sistema Penitenciário  prisional falido ou mal administrado, um sistema que gasta milhões de reais todos os anos para não recuperar ninguém que além disso devolve para sociedade ou para o convívio social , pessoas sem a minima condição de estarem em liberdade que na verdade são  verdadeiros Monstros. 
Mesmo assim o Governo do Estado do Acre insiste em continuar com uma politica de administração penitenciaria vergonhosa sem resultados positivos na recuperação de presidiários trazendo de volta para sociedade verdadeiros monstros. Mesmo assim o Governo do Acre  insiste no não desenvolvimento  de um projeto dentro do sistema prisional para o combate a reincidência visando evitar que monstros como esses saiam de dentro do sistema piores do que são.
Gleisson da Silva Andriola, falou para o repórter da TV gazeta  que matou porque queria ser transferido para cidade de Cruzeiro do Sul, cidade onde ele nasceu, e la também onde mora seus familiares, e ninguém deu ouvido a ele, era também em cruzeiro do sul onde o mesmo cumpria pena por roubo e foi transferido pra Rio Branco sob acusação de liderar um rebelião no presidio onde cumpria pena em Cruzeiro do Sul. Evidente que nada justifica o que ele fez juntamente com seu comparsa tirando a vida de duas pessoa inocentes. 

Mais porque muitos presos são transferidos para capital e são liberados por aqui mesmo, longe do convívio da família ou de parentes ficando  longe de casa sem assistência nenhuma ? Se o estado trouxe ,o estado deveria levar de volta ao seu local de origem e convívio social, perto de seus familiares  de onde  foi tirado, assim o preso terá o amparo  e apoio da família como prever as leis de execuções penais.  

Mais tem outros presos do interior do estado que estão longe de seus familiares  mais que vão ser liberados por aqui mesmo, e que foram trazidos para Rio Branco pelo próprio estado, e ficaram por aqui mesmo sem apoio nenhum de familiares amigos e de ninguém, que com certeza seguiram por caminho bem diferente, ou até terão o mesmo fim que teve este caso. Lembrando do preço absurdo cobrado pelo sistema para o preso que  quiser ser transferido de volta ao seu local de origem, sendo que foram trazidos de graça pela próprio estado, muitos deles num dinheiro nem pra irem de ônibus da penal até o centro. Vejo que a historia de muita gente poderia ser diferente se o estado mudar.



NOTA OFICIAL - Secretaria de Estado de Segurança
   
A Secretaria de Estado de Segurança vem a público externar sua solidariedade às famílias de Kender Conceição Alves da Silva e Eunice Moreira Lima, vítimas da brutalidade e violência extremas de Cleiton da Silva Andreola, em ocorrência que se estendeu por toda madrugada e terminou de forma trágica na manhã deste domingo.
Depois de renderem o segurança do Pronto Socorro, roubarem a sua arma e fugirem a pé, os bandidos Cleiton da Silva Andreola e Jeferson Teixeira de Andrade foram perseguidos pela polícia. Jéferson Teixeira foi preso e Cleiton Andreola invadiu o quintal de Kender Conceição Alves da Silva, que foi alvejado na cabeça, no tórax e na perna.
Ainda em fuga, o bandido Cleiton Andreola invadiu a casa de Ana Eunice Moreira Lima, que foi feita refém, e exigiu negociar com o coronel Célio e com o major Ricardo.
O comandante da PM chegou ao local à 1h e 20min, e conduziu pessoalmente a negociação, atendendo todas as exigências do bandido como forma de proteger a vida que estava sob seu domínio.
Durante a tentativa de negociação, o bandido desafiou os policiais a invadirem a residência, dizendo que tinha duas balas para detonar, uma contra sua refém e outra contra os policiais, mostrando disposição tanto para matar quanto para morrer.
A agonia se estendeu até às 7 da manhã, quando o bandido se entregou e a polícia encontrou Ana Eunice Moreira Lima morta, com um corte de faca no pescoço.
Estamos diante de um momento de profunda dor para familiares e de grande abalo para as autoridades da Segurança Pública e o Comando da Polícia Militar do Acre, especialmente para o Coronel  Romário Célio e o Major Ricardo, que acompanharam toda negociação e têm consciência de que os procedimentos adotados foram corretos.
Se a Polícia tivesse invadido a residência, poderia ter sido a causa da morte da refém, mas, mesmo tendo agido com equilíbrio, não conseguiu impedir esta ação de extrema violência e crueldade praticada por gente que não dá o menor valor à vida.
Estamos indignados, mas mantendo a mesma disposição de combater o crime e colocar os criminosos na cadeia.  

 
Márcia Regina Pereira de Souza
Secretária de Estado de Segurança Pública 

Nenhum comentário: