terça-feira, 27 de julho de 2010

Sistema Penitenciario do Acre quer que familiares pague por uniforme padrão de presidiarios.

Conversava hoje com a coordenadora do núcleo de atendimento a família o NAF, a mesma me dizia que o sistema esta sim em processo de mudança do modo de vestimenta dos presos, segundo ela de inicio vai começar com os presos provisórios todos terão que usar bermudas azuis e blusas brancas. Eu perguntava se o estado iria bancar o uniforme, ela disse que não, mais que os familiares era quem ia comprar o uniforme e deixar no NAF para que fosse encaminhado ao detento no presidio. Semana passada estive na penitenciaria exatamente pra ouvir o que as famílias achavam dessa nova mudança, o resultado foi negativo por parte dos familiares. As famílias  reclamam que o estado esta querendo fazer uma mudança na vestimenta de cada preso esta interessado nisso e ainda quer que as famílias paguem por isso, desse jeito não podemos aceitar, disse uma visitante  da penitenciaria revoltada em frente a penal. Vejo que o sistema precisa entender que muitas famílias que visitam as penitenciarias do Acre são pessoas humildes e pobres muitas vezes sem renda nenhuma pra sobreviver, que muitas dessas famílias pelo fato de ter um parente preso já tem uma despesa muito grande com advogados e outros tipos de material como por exemplo material de higiene que muitas vezes falta dentro da penitenciaria. A coordenadora do NAF se justificava dizendo que pelo fato dos presos terem roupas molhadas  dentro das celas e a causa de muito mal cheiro dentro dos pavilhões, por isso todos os presos vestidos da mesma forma vai diminuir o estoque de roupas dentro dos pavilhões acabando com o mal cheiro. Essa justificativa do NAF e um opinião totalmente equivocada pois as condições de higiene das penitenciarias do Acre não esta relacionada as condições de vestimenta dos presos. Mais esta sim relacionada as condições de higiene estrutural dos pavilhões onde ficam alojada as pessoas durante anos ao lado de esgotos a céu aberto, privadas entupidas, paredes pichadas  e caindo os pedaços que a anos não receberam um pitura si quer, água suja nas torneiras, falta de material higiênico adequado para limpeza das celas e pavilhões, tudo isso e  mais outros fatores  associado a  celas super lotadas monte de pessoas uma por cima das outras, em um espaço curto  para viverem durante anos, e ainda por cima abafado sem nenhuma vistoria fiscalização ou expessão sanitária a vista no local. E claro que tudo isso sim esta associado as condições de mal cheiro nos presídios do Acre. A associação de direitos dos familiares, amigos e reeducandos dos estado do Acre, se diz a favor da mudança mais que o estado pague pelo que ele mesmo quer.

Nenhum comentário: