terça-feira, 24 de agosto de 2010

Violência - O estado atacar somente o criminoso e não o crime.


A onda de violência que assola a cidade de Rio Branco não dar trégua mesmo, o que chama mais a atenção e o grande numero de assaltos que acontecem na capital em que as vitimas vai desde a pessoa mais simples até as pessoas de mais destaque em nosso estado, como por exemplo o deputado estadual Luiz Calixto que foi assaltado no ultimo fim de semana. Na capital acriana já tivemos inúmeros assaltos entre as vitimas estão Secretários de Estados, Promotores de Justiça, Juizes, Empresários, Policiais, fazendeiros, médicos, igrejas,  delegacias, hospitais, e agora até os políticos estão se tornando vitimas da ação dos assaltantes de Platão que circulam pela cidade. Hoje no Acre tudo pode ser assaltado, um par de tênis, que não precisa nem ser original de marca, um relógio, câmeras digitais, chegamos a tal ponto em que hoje não se pode ter mais um celular e atende-lo em via publica, que e correr risco e dos grandes. O aparelho de celular e muito visado pelos assaltantes pelo fato de ser comercializado com facilidade no mercado negro. E esta semana mais um crime repercute na imprensa local a morte da esposa de um empresario da cidade, ela foi morta durante um assalto no portão de casa quando chegava em sua residencia. O que mais emprisiona quando conversamos com jovens adolescentes e adultos e que todo mundo já foi vitima de assalto a mão armada em Rio Branco. Uma estudante dizia que já teve sua casa invadida por homens armados. Fui amarrada e puseram armas na minha cabeça meu vizinho chamou a policia mais a policia não chegou a tempo , fiquei traumatizada e tive que fazer tratamento vários meses disse a jovens. Outro estudante disse que teve seu celular tomado no meio da rua, o assaltante era maior que eu ele estava armado o que eu poderia fazer ? perguntou o jovem. Um outro adolescente disse que o comercio de seu pai tinha sido assaltado varias vezes. A situação sobre assaltos  realizados na cidade de Rio Branco e tão séria que talvez não tenha quem ainda não foi roubado furtado ou tenha escapado ou saído ferido de um assalto. Mais quando esse questão chega para os gestores da segurança de nosso estado inclusive para outras esferas competentes como o legislativo e o executivo eles acham espaço para dizer que a culpa de toda essa onda de violência que atinge a capital e todo o estado do Acre e do Conselho Nacional de Justiça que veio ao estado e pós e liberdade mais 200 presos que deveriam esta ainda atras das grande, que maioria dos assaltos e outros tipos de delitos são cometidos por  presidiários em liberdade condicional ou por pessoas que já tiveram passagem pela policia. Aqui temos um outro problema serio que exatamente a politica prisional executada hoje em nosso estado o preso passa dois ou três anos atras das grades sai pior. E vem atona aquele velho ditado de sempre "entrou como tava saiu pior". As policias tem uma demanda muito grande  pela frente, pois todos os dias a policia coloca gente na cadeia e os delegados mandam pra penal, tem semana de irem de 15 a vinte pessoas pra penal ou eles estão prendendo as pessoas erradas  ou tem assaltante em Rio Branco alem da conta, porque os assaltos não param  os crimes não param, e agora os latrocínios não param também,  como no caso da esposa do empresario morto esta semana, o caso da assessora parlamentar teve sua casa invadida e morta, o professor enterrado no próprio quintal de casa, o motorista morto no posto de gasolina,  dentre muitos outros casos que chocaram nossa sociedade. E como sempre venho enfatizando, vou insistir mais uma vez porque  ainda me envergonho da politica social realizada ou executada em nosso estado se e que eles executam alguma. Como também a politica do sistema penitenciário que não recupera ninguém que até hoje só tem trazido de volta verdadeiros monstros e pescotapas para o meio da sociedade. Mais o desenvolvimento de uma politica social de oportunidades votada para inclusão social de nossos jovens e adolescentes. Alem de uma atenção social voltada para egressos do sistema prisional tendo em vista assegurar seu emprego e renda já que o CNJ diz que 80% dos egressos do sistema pressional não reincidem novamente tendo trabalho.  Uma politica do sistema penitenciário focada para realização de projetos sociais tendo em vista o combate a reincidência já que todos que são pegos pela policia são reincidentes. Um  trabalho das policias em pontos estratégicos visando a prevenção destes e de outros tipos de delitos, com mais eficiência e rapidez no serviço 190. Todas essas e outras medidas são compatíveis com segurança publica. Enquanto isso o estado continua errado em atacar somente  o criminoso e não o crime.             

Nenhum comentário: