sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Em nota o estado rebate denúncia do Ministério Público

Em vistoria surpresa feita a Fundação Hospitalar do Estado do Acre, o promotor de justiça da coordenação de Cidadania e Saúde do Ministério Público Estadual, Rogério Voltolini, constatou uma serie de irregularidades. Alem de sua equipe ser quase barrados na porta da unidade. O estado rebateu e desmentiu os fatos divulgados pelo promotor.
Nota de esclarecimento     

Tendo em vista as notícias veiculadas sobre a visita do Ministério Público, através do Promotor de Justiça, Dr. Rogério Voltorini Muñoz, à Fundação Hospital Estadual do Acre (FUNDHACRE), a Secretaria de Estado de Saúde esclarece:

1.        Sobre a afirmação de ter encontrado "crianças e adultos na mesma sala de observação", esclarecemos que a sala de observação em questão é no Hospital do Câncer, onde pacientes estão aguardando o resultado de exames laboratoriais e/ou radiológicos, por um período de não mais que uma hora, não acarretando prejuízo ou risco para saúde de quem está no mesmo ambiente, de acordo com o médico oncologista, Antonio Vendette, Diretor Técnico do UNACOM.

2.        Com relação a "pacientes com tuberculose e câncer estarem na mesma sala de atendimento médico e sendo atendido pelos mesmos enfermeiros", isto não corresponde com a realidade. Em nosso serviço de Infectologia da FUNDHACRE, situado na ala "A", temos o zelo de internar nossos pacientes nos seus devidos leitos para não colocar em risco a saúde dos mesmos, como também às dos profissionais de saúde que ali atuam. O fato é que na mesma ala "A" existem leitos da Oncologia, porém em enfermarias separadas e sem riscos de troca de infecções entre os pacientes.

3. Os pacientes portadores de tuberculose pulmonar são colocados em isolamentos respiratórios. Esclarecemos que tuberculose cutânea, ganglionar, pleural ou de outros órgãos, não requerem isolamentos respiratórios, pois não são bacilíferos.

 4. Quanto aos enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam na ala "A" e dão assistência a pacientes com diferentes diagnósticos, os mesmos seguem aos POPs (Procedimento Operacional Padrão) e assim, não colocam em risco a vida de pacientes, nem dos profissionais de saúde.

5. As informações técnicas para os esclarecimentos da área de infectologia foram prestadas pelo médico infectologista, Martoni Moura e Silva, Chefe do Serviço de Infectologia FUNDHACRE.

6. Sobre a afirmação de que: "dos três aparelhos de endoscopia, apenas um funciona", esclarecemos que os três aparelhos de endoscopia estão plenamente aptos para funcionamento e em perfeito estado de uso, inclusive, não há demanda reprimida de agendamentos, realização e emissão de resultados dos exames de endoscopia no atual período. Dentre os três aparelhos um é móvel para otimizar o atendimento dos pacientes internados, e outro é reservado a evitar transtornos em caso dos demais, eventualmente, apresentarem defeitos.  

7. Por fim, lembramos que a FUNDHACRE, em nenhum momento, criou impedimentos para que o MPE efetuasse a fiscalização nesta unidade hospitalar. Ao contrário disso, reconhecemos o papel do parquet na defesa da saúde pública. Aliás, tal fiscalização soma os esforços desta gestão em melhorias contínuas ao atendimento da população. 

Nenhum comentário: