quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A Impunidade consolida o Crime

Incineração das duas toneladas de Ossadas Humanas em São Paulo.

Constatado mais do que corrupção e impunidade, são afrontas desrespeitosas ao estremo para com a nação. Foi Protocolado em 12 de Março de 2010, no Ministério Público do Estado de São Paulo, denuncia e pedido de investigação sobre o achado de duas toneladas de Ossadas humanas encantada na região do ABC, São Paulo, Brasil.
Diante de milhares de pessoas desaparecidas, entre elas crianças, jovens e adultos, sem que haja esclarecimento para tanto; e milhares de ossadas humanas encontradas.
A resposta que tivemos foi a de que se tratava de queima de arquivo. Essas ossadas foram incineradas sem investigação rigorosa e punição de culpados. Chega a um tipo de oficialização do crime, que poderia ser classificado de hediondo. Essa é a nova regra. Desapareceu; ninguém viu; ninguém sabe; ninguém responde; ninguém paga.
Filhos saudáveis, perfil preferencial para o mercado globalizado oficial onde o corpo humano é hoje a moeda oficial a matéria prima mais valiosa de todos os tempos com finalidade de abastecer o mercado Internacional para todas as modalidades de exploração do corpo humano.
Quem comanda o mercado é a mercadoria, o corpo humano. O lucro está acima de todos os concorrentes, não há controle; é a moeda mais forte. Não resta opção: ou você combate ou fica fora.
O documento foi encaminhado ao Ministério Público, com apoio das Organizações: Fundação Interamericana de Direitos Humanos e Movimento de Combate ao Tráfico de Órgãos Humanos, Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Após oito meses à espera de uma resposta por parte do Ministério Público, uma Jornalista telefona perguntando se já temos conhecimento da incineração das duas toneladas de ossadas humanas.
Após a constatação dos fatos no Ministério Público de São Paulo, fica confirmado o descaso, impunidade e desrespeito para com milhares de famílias que têm seus entes queridos desaparecidos.
A final são duas toneladas de ossos e não dois quilos. Não são desculpas esfarrapadas que nos vão convencer de que esses ossos caíram do céu. Esse é tratamento que vem tendo o tráfico de órgãos humanos no Brasil.

A impunidade vem de longe

Veja este caso: Após 23 anos, de acusado de retirar rins de pacientes vivos vão a Júri. Médicos negam ter forjado morte encefálica; Júri será em 2011.
São acusados de matar quatro pacientes em Taubaté, interior de São Paulo.
O País precisa mobilizar se por ocasião do julgamento. Os assassinos continuam impunes e novos crimes ocorrem diariamente. É preciso que se dê um basta à impunidade.
O caso de Taubaté foi investigado pela CPI federal do tráfico de órgãos humanos e a pesar da constatação dos fatos nenhuma medida foi tomada. Ao contrario aumentou o numero de casos de jovens que tem seus rins retirados (roubados) diariamente.
Diante das aberrações constatadas, podemos dizer que ainda não existe lei para doação de órgãos no País: Existe sim um acordo entre os interessados. É abominável o que se passa pelos bastidores do Legislativo; essas leis afrontam a Constituição e a cada um de nós.
Fica nosso apelo para que se esclareça, o mais rápido possível, o que acontece nos cemitérios clandestinos da zona sul de São Paulo (Parelheiros), assim como o caso dos dois jovens desaparecidos na mesma região em 10/09/10. Ermeson Heida, 27 anos e Edson Edney da Silva, 28 anos, ambos da zona Sul de São Paulo. É urgente que estes casos sejam esclarecidos e os culpados punidos no rigor da lei. (Os Corpos dos jovens já foram encontrados). Mas nada foi esclarecido sobre as causas da morte.

* Dr. Hélio criou e preside a Fundação Interamericana de Defesa dos Direitos Humanos (FidDH), entidade que atua junto à Comissão Interamericana de DD.HH.

Um comentário:

J.S.S. disse...

oi jocivan.. tomei a liberdade e fiz uma visita no seu blog.. muito bom viu.. parabens pelo conteudo e pelo estilo de assunto!!!!! Deus te abencoe!!!!