quarta-feira, 26 de setembro de 2012

MDH/AC APOIARÁ MANISFESTAÇÃO COMUNITÁRIA QUE PEDIRAR A SAIDA DE IMEDIATO DO COMANDANTE DA 2º REGIONAL

A pedido da comunidade RECANTO DOS BURITIS e BAIRROS ADJACENTES, na periferia de Rio Branco – AC. O MOVIMENTO DOS DIREITOS HUMANOS DO ACRE irá apoiar uma manifestação com a participação de toda comunidade que pedirá a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Acre, a saída de imediato do comandante do batalhão responsável pelo policiamento na região. A comunidade denuncia a ação truculenta, desrespeitosa e arbitraria da Policia Militar, em ações duvidosas que tem chegado até mesmo a vitimar pessoas inocentes, com disparo de arma de fogo, em ocasiões desnecessária, colocando em  risco a vida de moradores.

A comunidade também denuncia abuso de autoridade, além do espancamento feito por policiais da regional a pessoas que segundo os próprios policiais são tidos como suspeitos, mais depois de tal abordagem truculenta, (com violência) são liberados por não terem nada que incrimine ninguém. (muitos dos que sofreram tal abordagem, nunca tiveram passagem pela policia).

A comunidade também denuncia que o comandante do policiamento regional através da ação da Policia Militar, tem imposto na comunidade o toque de recolher, onde pessoas que são vistas pela policia durante a noite nas ruas do próprio bairro, são abordadas pela policia com violência. O desrespeito da policia com os moradores da comunidade tem ganhado certa repercussão, pelo fato de muitas famílias, hoje, terem medo de sair de casa à noite, temendo serem abordas pela própria policia encarregada de trazer segurança pra comunidade.

Ainda na tarde de hoje (26) a pedido de muitos moradores o Movimento dos Direitos Humanos do Acre envio três de seus representantes ao local para apenas observar a situação mais de perto, os mesmo foram surpreendidos dentro da comunidade por um forte aparato policial, 03 viaturas PM, 01 micro ônibus PM, 07 motos do grupamento de Policia Militar GIRO. Uma média de 25 homens da Policia Militar. Os 03 representantes do Movimento de Direitos Humanos do Acre, foram revistados, tiveram seus materiais de trabalho também revistado, e sentiram-se constrangido diante da ação e da força policial desnecessária, pelo fato do forte esquema e aparado policial presente no local.

Apesar da legalidade da ação, não houve agressão física e nem verbal aos representantes do Movimento de Direitos Humanos do Acre, que logo foram reconhecidos pela policia. Mais os mesmo classificaram o ato como intimidação, e suspeitam que comandante da 2º regional tenha perdido o controle da situação que ocorre no local, e da atividade da policia dentro da comunidade acima referida.        

Nenhum comentário: