sábado, 8 de junho de 2013

Denise Bonfim recebe apoio do Movimento dos Direitos Humanos do Acre e movimento social

No final da manhã desta sexta-feira (7) representantes do Movimento dos Direitos Humanos (MDH) e das entidades ligadas ao movimento social no Acre estiveram visitando a Desembargadora Denise Castelo Bonfim, que determinou a prisão de 15 dos 29 indiciados na Operação G7 da Polícia Federal, que durante dois anos investigou supostas fraudes em processos licitatórios e desvio de verbas públicas.
De acordo com Jocivan Santos, presidente do MDH a magistrada, nos últimos dias, vem sendo vítima de ataques por parte de governistas que, após ver secretários de Estado, assessores e aliados políticos encarcerados, tentam a todo custo desqualificar a atuação de Denise Bonfim, bem como os trabalhos investigatórios realizados pela Polícia Judiciária.
 
“O objetivo principal dessa visita é demonstrar nosso total apoio a Desembargadora Denise Bonfim, pela sua atuação isenta, séria e profissional com que vem conduzido esse processo. Repudiamos veementemente esses ataques covardes dispensados a magistrada”, declarou Santos.
A representante do Movimento Indígena Unificado, professora Nira Cunha falou que também foi perseguida por não concordar com a maneira como o PT vem conduzindo o Acre nos últimos anos e ressaltou que o povo acreano está comemorando a atuação de Denise Bonfim.
“O Acre inteiro comemora a atuação da Desembargadora, uma mulher de garra, atitude e que não se deixa amedrontar. Por não comungar com o método usado pelos poderosos em governar o Estado fui perseguida, seguiam meu carro, fui hostilizada e sofri represálias”, disse a ativista.
Por mais de uma hora os visitantes relataram as perseguições e represálias sofridas por parte do Governo estadual por se posicionarem a favor da Operação G7.
Aldeídes Moura, ativista dos direitos humanos usou uma frase de Dom Hélder Câmara, Bispo católico conhecido por ter lutado em prol de melhores condições de vida para os mais pobres e também por ter denunciado as torturas da ditatura, para afirma que Denise Bonfim deve continuar na sua luta de fazer Justiça.
“É graça divina começar bem. Graça maior persistir na caminhada certa. Mas graça das graças é não desistir nunca’, essa frase de Dom Helder Câmara é para mostrar a Desembargadora que ela não deve desistir, que ela deve continuar na sua caminhada de se fazer Justiça”, destacou a ativista.

Gleydison Meireles / ac24horas

Nenhum comentário: