segunda-feira, 7 de julho de 2014

Número de homicídios de jovens no AC aumenta 13,3% em dez anos

Pesquisa integra Mapa da Violência 2014, divulgado pelo Cebela.
Dados correspondem a uma década, entre os anos de 2002 e 2012.


Os casos de homicídios envolvendo a população jovem, de 15 a 29 anos, cresceu 13,3% no Acre, entre os anos de 2002 e 2012. É o que mostra o 'Mapa da Violência 2: Os Jovens do Brasil', divulgado no dia 2 deste mês, pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela). A pesquisa mostrou que houve o registro de quase 79 homicídios por ano.
De acordo com os dados do mapa, somente entre os anos de 2011 e 2012, o aumento foi de 37,8%. No entanto, se calculada por cem mil habitantes, a taxa de homicídios entre os jovens apresentou um declínio de 9,8%, deixando o estado acreano na terceira melhor posição da região Norte, ficando abaixo apenas de Rondônia (-22,6%) e Roraima (-26,8%).
O levantamento mostra também uma redução de 21,6% nos casos de assassinato em Rio Branco na população jovem. Por cem mil habitantes, a redução foi maior, de 37,8%, deixando a capital acreana em segunda melhor posição no ranking da região Norte.
Em relação aos homicídios na população total, o Acre apresentou um aumento de 38,4% durante a década pesquisada pelo Cebela. E se levada em consideração o cálculo por cem mil habitantes, o crescimento foi de 7,1%. Apesar do aumento, na capital acreana, o mapa mostrou uma redução de 4,2% nos casos.
Taxa de homicídios e cor da pele
O levantamento também mostra a relação entre os casos de homicídios e a cor da pele da população. Segundo o Mapa da Violência, houve uma redução de 63%, entre os anos 2002 e 2012, no número total de mortes de acreanos que se declaravam brancos. Por cem mil habitantes, a redução registrada foi de 78%. Com isso, o Acre apresentou a maior redução da região Norte. Em relação aos jovens brancos, a redução chegou a 83,1%, também a maior da região.

Já entre a população negra total (soma das categorias preta e parda), foi apontado um crescimento de 82,9% no número de casos de assassinatos. Porém, por cem mil, houve uma diminuição de 18%. Redução que se acentua se for levada em consideração os jovens negros, chegando a menos 26,7%.
Fonte:G1/AC

Nenhum comentário: