segunda-feira, 24 de novembro de 2014

MAIS UM CASO DELICADO QUE RETRATA BEM A IMAGEM DO QUE É O ATENDIMENTO NA MATERNIDADE DE CRUZEIRO DO SUL.

A 6 dias atrás a Necilda de Oliveira foi acompanhada de uma vizinha a maternidade ela estava gravida de nove meses, e reclamava de dores para dá a luz ao pequeno Arthur. Na maternidade foi atendida por um médico que disse está tudo bem, pediu que aguardasse e transferiu ela para outra médica a Dr. Valesca, que mesmo vendo o estado da paciente concluiu que não era nada grave, depois de verificar a ultra som. Depois de 5 dias a Necilda teve alta e foi pra casa, mais no outro dia desconfiou que o bebê não mexia mais, então retornou novamente a maternidade, o médico olhou e percebeu que o bebê não dava sinal de vida. Imediatamente ela foi submetida ao procedimento de trabalho de parto urgente, mais deu a luz ao pequeno Arthur já sem vida no ultimo domingo (24). “Na primeira vez que levei ela no hospital, eu questionei a médica sobre a possibilidade de retirar a criança porquê de fato já estava no tempo dela dá a luz, mais eles disserem que não, não era bem assim, que estava tudo bem, nessas horas só eles tem razão” disse a vizinha, Juberlente Santos, que acompanhava Necilda. O outro médico do plantão que atendeu Necilda, no dia do parto, disse que a morte ocorreu porque ela tinha perdido muito liquido.
Na verdade um procedimento até simples que a outra médica (Dr. Valesca) que acompanhou Necilda, deveria saber, antes de tudo isso acontecer, marcando uma mãe pro resto da vida, com sequelas e perdas irreparáveis. Agora elas pretendem fazer uma denúncia no Ministério Público em Cruzeiro do Sul e representar o estado por negligencia e outros danos que custou a vida do pequeno Arthur, vindo a nascer já sem vida.

Nenhum comentário: