sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Rio Branco tem centro de referência especializado para população em situaçãod de rua

Um dos reflexos do intenso processo de exclusão social é a população em situação de rua. São pessoas que se caracterizam por serem um grupo heterogêneo, composto por pessoas em diferentes realidades, mas que tem em comum a condição de pobreza, vínculos sociais e familiares interrompidos ou fragilizados e falta de habitação convencional regular, sendo compelidas a usar a rua como espaço de moradia e sustento, por caráter temporário ou permanente.


Unidade de Acolhimento “Dona Elza”. é uma unidade que presta serviço de acolhimento para população em situação de rua, na modalidade de abrigo institucional, seguindo as orientações e diretrizes do Sistema Único de Assistência Social - SUAS. 
 

Desde o ano de 2006 a Cidade de Rio Branco vem dando atenção às pessoas em situação de rua através das iniciativas da política pública de assistência social. Mas foi em 2012, graças ao Programa Crack, é Possível Vencer e à aprovação do Conselho Municipal de Assistência Social - CMAS, que estes serviços foram ampliados e qualificados. Neste mesmo ano a Prefeitura, por meio da SEMCAS, implantou mais um Centro de Referência Especializado de Assistência Social-CREAS, um Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua - CENTRO POP e o Serviço Especializado de Abordagem Social realizado de forma contínua (24h) e ao Acolhimento Institucional.








 Cerca de 188 pessoas vivem nas ruas de Rio Branco, segundo a prefeitura. 


Além do acolhimento e alimentação, os abrigados receberão também ajuda de assistentes sociais e psicólogos.
Segundo o diretor de proteção social, Fábio Fabrício, este é o primeiro espaço público estatal para acolher moradores de rua em Rio Branco. Alguns outros locais abrigam jovens ou adultos, mas em casos específicos, como dependentes químicos. Mas nem sempre são os vícios que levam às pessoas a ficarem nas ruas.

 

Nenhum comentário: