sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Homem acusado de matar vendedora a facadas é condenado a mais de 27 anos de prisão: Ele cumprirá a pena em regime inicialmente fechado, mas dentro de 4 anos e 6 meses já poderá solicitar a progressão para o semiaberto


Adjunior Sena, de 32 anos, foi a júri popular nesta quinta-feira (6), no Fórum Criminal, na Cidade da Justiça, em Rio Branco. Ele respondia processo acusado de matar com uma facada a sua ex-mulher, Keyla Viviane do Santos, de 29 anos, em frente à loja em que ela trabalhava. Ele foi condenado a 27 anos e 6 meses de prisão pelo crime. A decisão, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, saiu no início da tarde desta quinta-feira (6) e cabe recurso.
Para o promotor Leandro Portela, na acusação as provas foram claras que Adjunior cometeu o crime e não tinha dúvidas quanto a condenação do réu. “Era muito clara a condenação do réu, pois tínhamos imagens do assassinato que comprovavam sua autoria, além de outras provas concretas apresentadas pelo Ministério Público.
promotor de justiça Leandro Portela
Portela destacou que aqui em Rio Branco é a primeira vez que se julga um caso de feminicídio, nova tipificação criada por meio de uma alteração na lei em 2015 e que mudou totalmente a forma que o legislador vê este tipo de assassinato, agravando a pena.
O julgamento foi acompanhado pela família de Keyla, incluindo as duas filhas da vendedora, além de amigos. O condenado cumprirá a pena de 27 anos em regime inicialmente fechado, mas dentro de 4 anos e 6 meses já poderá solicitar a progressão para o regime semiaberto.

Nenhum comentário: