sábado, 29 de abril de 2017

Coronel da PM/AC que criticou os Direitos Humanos teve envolvimento em crime de execução na capital.

video

Sobre o vídeo acima em que policiais aparecem executando uma ação criminosa na periferia de Rio Branco o Coronel da Policia Militar do Acre Ulisses Araujo, que também ocupa o cargo de corregedor da Policia Militar emite a seguinte nota através de seu perfil no facebook, onde o mesmo diz. Os PMs da ocorrência do vídeo são tão VÍTIMAS quanto as supostas “vítimas”. Pois o policial trabalha sob condições de estresses incomparável a qualquer outra profissão deste mundo.

No caso do Acre a situação é potencializada, pois atuam submetidos à enorme “pressão” que abrange desde as falhas no treinamento técnico-profissional continuado, carga horária excessiva de trabalho para cobrir a defasagem de efetivo, falta de estrutura e investimentos (ontem graças ao Governo Federal o povo acreano foi contemplado com algumas viaturas e coletes), dentre outras mazelas.
Volto a dizer, policial é vítima, sim! Vítima de um política de segurança pública fraca, de uma legislação pró-crime, das nossas “audiências de custódia” (Polícia prende, Justiça solta, devido uma legislação arcaica).
Aliado a esses fatores, são VÍTIMAS os policiais e, inclusive, a sociedade acreana que é enganada todos os dias com falsas declarações de tranquilidade e manipulações de dados em um Estado que a violência está fora de controle e ultrapassa o limite da razoabilidade, como por exemplo o ano de 2015, ano em que tivemos a média de 26 homicídios por ano, em 2016 houve aumento de 80% e somente no primeiro trimestre de 2017 em relação ao ano 2016 houve um aumento de 134,5%. A respeito desses dados e crimes, ninguém preso!!!
Conheço os PMs envolvidos na ocorrência e afirmo que pelo menos um deles aí já tirou do bolso pra trabalhar, nem que seja para “remendar” um fardamento ou até mesmo para ajudar no conserto de uma moto ou viatura, pois nossa instituição está sucateada, pois o Estado não oferece condições satisfatórias para o trabalho do militar nas ruas.
O mesmo direito que cabe ao bandido, cabe aos militares com mais veemência. Se fosse os bandidos agredindo algum cidadão de bem teríamos representantes dos “direitos humanos” tratando eles a “pão de ló”, como agora é o inverso, temos que tolerar a execração pública.
Externo meu apoio aos PMs e digo: também são humanos e também são passíveis ao erro! Que Deus proteja e guarde os militares. Que Deus abençoe suas famílias.
“ASSIM COMO TODA ALEGRIA É PASSAGEIRA, NENHUM SOFRIMENTO É ETERNO! "
Coronel Ulisses Araujo
Diante dos fatos, o movimento de Direitos Humanos do Acre manifesta repúdio a referida ação no vídeo executada por policiais militares do Acre, que teve até repercussão nacional. Como também a atitude do referido coronel da policia militar em criticar os direitos humanos. Sendo que por unanimidade o governo e a própria instituição policia militar como também a secretaria de segurança pública do acre, se manifestaram totalmente contrario os atos cometidos pelos policiais reprovando totalmente a conduta dos mesmo que foram presos.  
Cabe ainda informar que o coronel Ulisses Araujo que tem envolvimento em crime de execução na capital  não tem moral para falar ou criticar os direitos humanos e que a referida nota só mostra que sua conduta e índole corporativista e delituosa não mudou ao tentar justificar uma ação truculenta brutal e covarde de seus iguais sendo que duas das vitimas que foram espancadas e torturadas sequer tem passagem pela policia ou antecedente criminal.
O seguinte documento abaixo diz um pouco do que a própria  justiça chama "missão assassina" executada pelo então tenente PM Ulisses Araujo o ano é 1996.  





Nenhum comentário: